O julgamento do homem de 41 anos acusado de matar, com um tiro de espingarda, Diego Ferreira Vasconcelos, 26 anos, será no próximo dia 13. O crime aconteceu em setembro de 2013, em uma fazenda, localizada na divisa entre Sinop e Cláudia, onde o réu trabalhava e a vítima era gerente de pátio.

O júri do réu chegou a ser marcado para julho do ano passado. Porém, em razão da ausência, por motivos médicos, de um promotor que atua no caso, foi remarcado para este mês. O homem será submetido a julgamento popular por homicídio qualificado, cometido por motivo fútil.

Uma testemunha relatou que o acusado queria utilizar o compressor de energia para carregar a bateria da máquina com a qual trabalhava, porém, Diego não deixou, pois já estava usando o equipamento. Segundo esta versão, o réu estava embriagado e foi até um quarto, retornando com a espingarda nas mãos. A testemunha também contou que, ao verem o suspeito armado, tentaram acalmá-lo, porém, o homem acabou efetuando um disparo contra Diego e, em seguida, correu para o mato.

Em depoimento à Justiça, o acusado confessou o crime, motivado pela discussão envolvendo o uso do compressor. Alegou, no entanto, que Diego também afirmou mais “algumas coisas” que o desagradaram e que havia desavenças anteriores entre os dois. O suspeito disse que estava sob efeito de bebida alcoólica e entorpecentes, quando pegou a arma e foi “tomar satisfação” com a vítima. Segundo esta versão, Diego se levantou com um pedaço de madeira na mão e, por este motivo, o réu disparou contra o gerente da fazenda.

Conforme Só Notícias já informou, outros funcionários da propriedade ainda tentaram socorrer a vítima, o encaminhando para o hospital regional. No entanto, ele não resistiu ao ferimento e morreu ao dar entrada na unidade médica. Diego foi sepultado em Claudia (90 quilômetros de Sinop).

O suspeito chegou a ser preso e encaminhado para o presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”, em Sinop. Em março de 2014, a Justiça decidiu pela soltura do réu.

Deixe uma resposta