fbpx
Connect with us
ads

Polícia

Após dias sem ser visto, uruguaio com suspeita de Covid é encontrado morto dentro de casa; PJC e Politec se recusaram a atender, diz BO

Published

on

No início da trade de ontem, quarta-feira (15), o uruguaio José Maria Fernadez Sundberg, de 63 anos, foi encontrado morto dentro de sua casa, no condomínio Residencial Jardins, no centro de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Segundo relatou um dos porteiros do condomínio onde o homem morava, ele estava com Covid-19 e há muitos dias não era visto e nem conseguiam fazer contato com ele.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, por mais de 8 horas o corpo ficou no local, aguardando ser encaminhado ao IML, depois que a Polícia Judiciária Civil e Perícia Politec deram negativa de deslocamento para atender a ocorrência e dar continuidade aos procedimentos, bem como retirada do corpo do local.

No documento policial foi registrado ainda que a equipe do 4º Batalhão da Polícia Militar foi acionada para atender uma situação de localização de cadáver, e ao chegarem no local, uma vizinha do uruguaio, disse que há alguns dias ele teria apresentado sintomas do novo coronavírus, e depois não saiu mais de casa. Dias depois, estranhando a ausência do homem, a testemunha pulou o muro da casa e encontrou a porta encostada, quando entrou no imóvel o encontrou sem as vestimentas da parte de baixo, caído na posição decúbito ventral, ou seja, de bruços.

A polícia então acionou o Serviço do Samu, que foi até o condomínio e emitiu um registro de atendimento constatando a morte do uruguaio, relatando ainda que não era possível emitir o atestado de óbito, pois não poderia manusear o corpo da vítima, a fim de preservar a cena da morte. Dessa forma os policiais do 4º Batalhão entraram em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e solicitaram a presença da Politec e da Polícia Civil, no qual os dois órgãos deram negativa de deslocamento até o local do fato a fim de dar continuidade com os procedimentos, tanto de inquérito como de retirada do corpo.

Após a resposta negativa dos órgãos competentes, os policiais ligaram para a equipe de Assistência Social de Várzea Grande que relatou que ficaria responsável pela retirada do corpo da residência e demais medidas necessárias.

Por ser uruguaio, a vítima não possuía parentes em Várzea Grande e a proprietária do imóvel onde a vítima morava, ficou responsável pelo veículo da vítima, bem como os demais pertences. Por volta das 21h40, os policiais informaram que até aquele momento o corpo do uruguaio ainda não havia sido retirado do imóvel e encaminhado para exame de necropsia para identificação da causa morte.

Politec

Em resposta a ocorrência, a Politec informou que não atender casos de morte natural, conforme apurou o site RD News.

Redação 163 Notícias/ RD News

Continue Reading
Advertisement
Comments