O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Décio Oddone, esteve reunido com o governador Mauro Mendes e discutiu soluções para reduzir preço do gás de botijão, que é o mais caro no país, segundo a ANP. A assessoria da agência não divulgou o resultado da reunião.

Na pesquisa realizada este mês, pela agência em sete cidades mato-grossenses, o preço médio mais caro do botijão é em Sorriso R$ 103,13, o mínimo é R$ 95 e o máximo R$ 110. O preço da distribuidora na capital do Agronegócio está estagnado em R$ 77. Foram pesquisadas 10 revendedoras.

Em segundo no ranking da ANP, está Sinop com preço médio de R$ 102,50, o mínimo também é R$ 95 e, de acordo com a ANP, o preço máximo é R$ 105. O preço da distribuidora para as revendedoras de Sinop é R$ 79. A ANP apurou 12 empresas revendedoras

Alta Floresta também foi pesquisada e o preço médio é R$ 99,50, o mínimo R$ 95 e o máximo R$ 105. Preço da distribuidora é R$ 83. Seis revendedoras foram apuradas. Na capital mato-grossense o preço médio é 95,60 e Várzea Grande R$ 95,50.