fbpx
Connect with us
ads

Polícia

Em Tangará da Serra-MT, sargento utiliza golpe de Jiu-Jítsu para imobilizar homem em surto psicótico e armado com faca; veja vídeo

Published

on

O policial Welinton da Silva, popularmente conhecido como Sargento da Silva, protagonizou uma ação que, não fosse as suas habilidades marciais, poderia ter tido um final trágico, nesta sexta-feira (30), no bairro Vila Esmeralda, em Tangará da Serra, Mato Grosso. Lutador de Jiu-Jítsu, ele conseguiu imobilizar um homem em surto psicótico com um golpe de triângulo, técnica que envolve o pescoço do oponente com as pernas e auxílio do braço. 

Em um vídeo que circula nas redes sociais é possível ver o sargento imobilizando o homem, visivelmente em surto, que logo em seguida recebe o atendimento de uma equipe do serviço médico de urgência. Nas imagens, é possível ver ainda a faca que estava sendo utilizada por ele caída ao chão, após ter recebido o golpe do Welinton.

“Quando a gente chegou no local, ali, no momento, a gente tava conversando com ele quando do nada ele partiu pra cima da guarnição. Eu consegui dar dois passos pra trás, na hora que ele deu a primeira mandada com a faca, eu consegui tirar o quadril de lado e por um encalço pra ele cair, porque aí eu já cai junto com ele”, explicou o sargento ao Olhar Direto. 

De acordo com o policial, no dia da ocorrência, a Polícia Militar havia sido acionada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para prestar apoio ao registro. No local, o homem, em surto psicótico, se encontrava em posse de uma faca. Na tentativa dos militares de dialogarem, ele partiu em direção a equipe. 

Sobre o desfecho que o caso teve, o sargento defende que colegas militares invistam tempo em treinamentos de artes marciais que contribuam para a atuação profissional, principalmente, em situações como a que ele enfrentou. Ele disse ainda que, desta forma, é possível evitar que episódios simples resultem em um possível óbito. 

“Numa situação dessa, como ele veio com tudo, daria tempo de usar arma de fogo, ele foi do nada, muito rápido. Os movimentos que foram feitos no início, foi reflexo por questão de eu treinar no mínimo três ou quatro vezes por semana, duas horas. Todo policial tem que treinar porque o corpo é o nosso instrumento de trabalho”.

Veja o vídeo:

Fonte: Olhar Direto

Continue Reading
Advertisement
Comments