fbpx
Connect with us
ads

Geral

MT: Pastor é preso por estuprar criança de oito anos; crime foi flagrado pela esposa

Published

on

Um pastor procurado por praticar crime contra a dignidade sexual de vulnerável, foi preso pela Polícia Civil de Mato Grosso, na quinta-feira (29), no município de Novo Mundo (785 km ao norte de Cuiabá). O suspeito tem 67 anos e a vítima 8.

A ação decorreu após troca de informações entre as Polícias Civis de Rondônia, por meio da Dicap e de Mato Grosso, através da Gerência de Estadual de Polinter e Capturas (Gepol) com apoio do Núcleo de Inteligência e Operacional da Delegacia Regional de Guarantã do Norte.

O suspeito estava com o mandado de prisão decretado pela Vara de Crimes Contra Vulneráveis do Estado de Roraima, por estupro de vulnerável majorado pela ascendência, ocorrido em março de 2018, onde ao agir para a satisfação de sua lascívia, constrangeu a neta de sua companheira.

No dia dos fatos, a criança estava em um dos quartos da casa da avó, quando o suspeito entrou no cômodo e iniciou os abusos sexuais. Porém, ele foi flagrado pela sua companheira que entrou no quarto.

A avó da vítima discutiu com o companheiro, momento em que este ameaçou matar a esposa e o pai da menina, caso chamassem à polícia. Em seguida ele fugiu e não foi mais localizado.

Durante as investigações realizadas pela Polícia Civil de Roraima, foi descoberto que o foragido estava em uma região de garimpo na cidade de Novo Mundo. Diante do fato, foi realizada a troca de informações entre as Polícias de RR e MT, ocasião em que a equipe da Polinter em Cuiabá entrou em contato com os policiais da Guarantã do Norte para cumprimento do mandado. 

O suspeito foi localizado conduzindo uma motocicleta no momento em que chegava a uma residência, ocasião em que foi dado cumprimento à ordem de prisão. Após cumprimento do mandado de prisão, o suspeito foi conduzido até a Delegacia de Guarantã do Norte para as providências cabíveis, sendo posteriormente apresentando em audiência de custódia e colocado à disposição do Poder Judiciário. Fonte: Olhar Direto

Continue Reading
Advertisement
Comments