fbpx
Connect with us
ads

Polícia

Nos primeiros cinco meses, crimes de feminicídios aumentam 75% em MT

Published

on

No estado de Mato Grosso, somente nos primeiros cinco meses deste ano, o número de feminicídio cresceu 75% em relação ao mesmo período do ano de 2019. Foram 28 mulheres que morreram em decorrência do homicídio em função de violência doméstica e familiar ou menosprezo e discriminação contra a condição de mulher. Já no mesmo período de 2019 foram contabilizadas 16 mortes em todo o estado.

As informações e dados são da Superintendência do Observatório de Violência, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e os números são medidos com base nos dados lançados no Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP) e informações fornecidas pelas Diretorias Metropolitana e de Interior da Polícia Judiciária Civil (PJC).

Ainda que os casos de feminicídio tenham aumentado, os homicídios com vítimas femininas, o que engloba outras motivações para morte como rixas, tráfico de drogas, por exemplo, reduziu 68%. Saiu de 22 casos em 2019 para sete em 2020.

Tais dados contemplam os 141 municípios do Estado, no período de janeiro a maio.

A Superintendência do Observatório da Violência alerta que os dados de feminicídio apresentados são passíveis de alteração, tendo em vista que a investigação do crime é complexa, e a consolidação da motivação pode necessitar de extensão de prazo e envio posterior.

De janeiro a maio deste ano, o estado registrou quedas nos registro de ameaça (-16%), lesão corporal (-10%), tentativa de homicídio (-25%), dentre outros. As reduções são em comparação com o mesmo período de 2019.

Diante dos dados de aumento de feminicídio frente às reduções de outras ocorrências, a delegada e coordenadora da Câmara Temática de Defesa da Mulher da Sesp, Jozirlethe Criveletto, acredita que as mulheres estão dentro de casa com os agressores e sem poder sair para denunciar.

De acordo com a Sesp, a Polícia Militar mantém os atendimentos por meio da Patrulha Maria da Penha. Neste período de prevenção a Covid-19, as visitas às mulheres que têm medida protetiva continuam.

Redação 163 Notícias/ G1

Continue Reading
Advertisement
Comments