fbpx
Connect with us
ads

Polícia

Padrastro suspeito de torturar menina de 6 anos com deficiência visual é procurado pela polícia em MT

Published

on

Menina de 6 anos, deficiente visual, que era vítima de agressões e torturas dentro de casa, está com as costelas quebradas, informou a Polícia Civil de Sorriso (420 km ao Norte de Cuiabá), que está conduzindo um inquérito para investigar o caso. Prisão preventiva do padrasto da menina já foi decretada e ele segue foragido. A mãe foi presa e transferida para uma unidade prisional em Colíder.

Em entrevista ao GD, o delegado Márcio Henrique Almeida Portela contou que apesar de a mãe da menor, uma mulher de 21 anos, ter contado aos policiais no momento da ocorrência que o marido batia na menina, ela negou a versão em depoimento.

“Na delegacia durante a oitiva ela negou que ele cometesse as agressões. Disse ainda que as lesões pelo corpo eram causadas pelo fato da menina bater nas paredes quando andava pela casa, já que ela é cega”, comentou o delegado.

Mas, a história é dificil de engolir. As lesões que a criança apresenta pelo corpo não condizem com as versões apresentadas pela mãe. No dia em que foi resgatada, sexta-feira (16), ela tinha cortes no corpo, hematomas, lesões e ainda sangramento na mão.

Após ser levada para uma unidade de saúde, onde foi constatada a desnutrição e febre de 39.9°, a equipe medica constatou que ela estava com as costelas quebradas. “Sim, foi constatado a fratura nas costelas, sim”, confirma o delegado.

Agora, a menina que passou pelo acolhimento do Conselho Tutelar, já está sob os cuidados da família paterna. “A mãe foi presa em flagrante. Representei à Justiça pela prisão preventiva dela e do marido, que está foragido, sendo concedida pela 2º Vara Criminal da cidade”.

Ela foi transferida para a cadeia de Colíder. Já o marido, que correu assim que a PM entrou no local denunciado, fugiu para um matagal e não foi encontrado. Diligências estão em andamento.

O caso

PM recebeu denúncia na sexta-feira de que uma menina cega estava sendo agredida dentro de uma joalheria no Centro de Sorriso. No local, o suspeito, identificado como Fernando Lordelo Alves, 30, se recusou a abrir a porta para os policiais entrarem.

Quando eles conseguiram ter acesso ao local, ele correu pela rua, entrou em uma região de mata e não foi mais visto. Já lá dentro, a mãe da menina ao flagrar a polícia se trancou no banheiro.

Depois de um tempo, eles abriram a porta e descobriram que a criança estava lá. Ela foi flagrada sentada no vaso, de cabeça baixa e cheia de ferimentos.

A mãe foi presa na hora por ter sido conivente com as agressões físicas e psicológicas causadas na menor, além de ter mantido a criança no banheiro para não permitir que as autoridades descobrissem os crimes cometidos.

Fonte: Gazeta Digital

Continue Reading
Advertisement
Comments