fbpx
Connect with us
ads

Mundo

Policiais são suspensos após algemar e espirrar spray em garota de 9 anos, nos EUA

Published

on

Policiais em Rochester, Nova York (EUA), algemaram e espirraram spray de pimenta em uma menina de 9 anos enquanto respondiam ao que um policial chamou de “problemas familiares” em um incidente duramente criticado por autoridades municipais.

Vídeos do incidente ocorrido na última sexta-feira (29) foram divulgados pelo departamento de polícia no domingo (31) e mostram policiais prendendo a criança, colocando algemas e a conduzindo para a traseira de um veículo policial enquanto ela chorava repetidamente e chamava por seu pai.

Depois que a garota nega seguir as ordens para colocar os pés dentro do carro, os policiais são vistos jogando spray de pimenta nela.

A menina foi transportada para o Hospital Geral de Rochester, onde foi posteriormente liberada, de acordo com o subcomandante de polícia de Rochester, Andre Anderson.

Os policiais envolvidos foram suspensos na segunda-feira (1º), de acordo com um comunicado à imprensa de autoridades municipais.

O incidente tem semelhanças preocupantes com a morte de Daniel Prude, um homem negro que morreu em março depois que a polícia de Rochester o prendeu no chão e colocou um capuz sobre sua cabeça enquanto ele passava por uma crise de saúde mental.

A filmagem da câmera acoplada no corpo do policial na morte de Prude, divulgada em agosto depois que autoridades da cidade adiaram intencionalmente sua liberação, gerou protestos sobre o tratamento dado pela polícia aos negros e aos que viviam crises de saúde mental. A prefeita Lovely Warren mais tarde demitiu o chefe da polícia, dizendo que havia um “problema generalizado” no departamento de polícia.

‘Inaceitável’

Em uma entrevista coletiva no domingo, a chefe de polícia interina de Rochester, Cynthia Herriott-Sullivan, disse que o tratamento dado à menina pela polícia não era aceitável.

“Não vou ficar aqui e dizer que para uma criança de 9 anos ter que ser pulverizada com spray de pimenta está tudo bem. Não é”, disse ela. “Não vejo isso como quem somos como departamento, e vamos fazer o trabalho que temos que fazer para garantir que esse tipo de coisa não aconteça.”

Warren disse que a menina a lembrava de sua própria filha.

“Eu tenho uma filha de 10 anos. Então ela é uma criança; ela é um bebê. E posso dizer que este vídeo, como mãe, não é nada que você queira ver. Não é”, disse Warren. “Temos que entender a compaixão, a empatia. Quando você tem um filho que está sofrendo dessa maneira e chamando pelo pai, eu vi o rosto do meu bebê em seu rosto.”

O caso

EUA: Policiais são suspensos após algemar e espirrar spray em garota de 9  anos
Polícia de Rochester, nos Estados Unidos, coloca algema em menina de 9 anos
Foto: Rochester Police Department/Reuters 

Os policiais foram chamados a uma casa na tarde de 29 de janeiro para um relatório de “problemas familiares”, disse Anderson no domingo.

Os policiais foram informados de que a menina era “suicida” e que ela havia “indicado que queria se matar e queria matar sua mãe”, explicou o subchefe.

A menina tentou fugir dos policiais, disse Anderson, e um vídeo divulgado pela polícia mostra um policial a perseguindo e tentando prestar ajuda.

Depois, disse ele, a mãe dela chegou e o vídeo da câmera do corpo mostra as duas discutindo. Anderson disse que os policiais então decidiram tirar a criança da situação e transportá-la para um hospital local.
Mas a garota se recusou a entrar em um veículo policial, “se debateu” e chutou um policial, derrubando sua câmera corporal, segundo Anderson.

“Não parecia que ela estava resistindo aos policiais, ela estava tentando não ser contida para ir ao hospital”, disse Anderson. “Enquanto os policiais faziam várias tentativas de colocá-la no carro, um policial borrifou a criança com spray de pimenta.”

O vídeo da câmera do policial mostra a menina gritando repetidamente por seu pai, enquanto é fisicamente contida por policiais. Ela é vista gritando antes de sua cabeça ser pressionada contra o solo coberto de neve e ser algemada. Uma luta começa entre a garota e os policiais enquanto eles tentam colocá-la dentro da traseira de um veículo da polícia.

A certa altura, um policial disse: “Você está agindo como uma criança”.

“Eu sou uma criança!”, a garota responde.

Mais tarde no vídeo, uma policial feminina é vista conversando com a garota, finalmente dizendo: “Esta é sua última chance, caso contrário, o spray de pimenta vai entrar em seus olhos.” Cerca de um minuto depois, outro policial pode ser ouvido dizendo: “Apenas borrife neste momento.” A policial é vista sacudindo uma lata que parece ser spray de pimenta e a criança continua a gritar.

Os policiais envolvidos no incidente não foram identificados pela polícia, nem a criança ou sua mãe.
Anderson disse no domingo que “não estava dando desculpas pelo que aconteceu” e que o departamento está “procurando uma mudança de cultura”. O departamento está em processo de revisão de várias políticas e procurando fazer mudanças, de acordo com Anderson.

A prefeita Warren disse que instruiu o chefe de polícia a conduzir uma investigação completa e minuciosa do incidente e disse que agradece a revisão do que aconteceu pelo comitê de responsabilidade policial da cidade.

Após as suspensões dos oficiais na segunda-feira, ela disse que o que aconteceu foi “simplesmente horrível”.

“Infelizmente, a lei estadual e o contrato sindical me impedem de tomar medidas mais imediatas e sérias”, disse ela.

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, disse em um tweet na segunda-feira que seu escritório também está investigando o incidente.

“O que aconteceu em Rochester na sexta-feira é profundamente perturbador e totalmente inaceitável. Esse uso de força e spray de pimenta nunca deve ser usado contra uma criança, ponto final. Meu escritório está investigando o que aconteceu, mas está claro que uma reforma drástica é necessária em (Rochester Departamento de Polícia) “, disse James.

Responsabilização da polícia

O governador Andrew Cuomo disse em seu estado e em todo o país que a relação entre a polícia e a comunidade “claramente não está funcionando”.

“Rochester precisa contar com um problema real de responsabilização da polícia, e este incidente alarmante exige uma investigação completa que envia uma mensagem de que esse comportamento não será tolerado”, disse ele.

Como no caso de Prude, a resposta da polícia à menina ressalta a luta da polícia para lidar adequadamente com pessoas que passam por crises de saúde mental ou ameaçam suicídio.

Warren disse no domingo que ela tinha falado com a mãe da menina e que a equipe de saúde mental da pessoa em crise estaria entrando em contato com a família.

“Está claro no vídeo que precisamos fazer mais para apoiar nossos filhos e famílias”, disse Warren.

A diretora executiva do New York Civil Liberties Union, Donna Lieberman, disse que “não há justificativa concebível” para a polícia usar spray de pimenta em uma criança de 9 anos e pediu uma mudança mais ampla em tais respostas.

“É hora de uma transformação completa da segurança da comunidade, começando com a retirada do RPD (departamento de polícia) de responder às crises de saúde mental e colocando profissionais de saúde mental treinados no comando”, disse ela em nota.

O reverendo Lewis Stewart, presidente do United Christian Leadership Ministry of Western New York, disse que a resposta da polícia foi parte de um “padrão de comportamento impróprio e desumano”, incluindo a morte de Prude.

“Este incidente … destaca a urgência da necessidade de avançar no que diz respeito a reimaginar e reinventar a polícia e a segurança pública”, disse Stewart em entrevista coletiva na manhã de segunda-feira.

Ele pediu que os policiais envolvidos fossem suspensos sem pagamento e investigados federalmente, e disse ainda que o Departamento de Polícia de Rochester deveria reavaliar sua abordagem para lidar com menores.

“Menores não devem ser algemados. Isso deve ser proibido”, disse Stewart. “As crianças não devem ser pulverizadas quimicamente. Isso também deve ser proibido.”

Fonte: CNN

Continue Reading
Advertisement
Comments