fbpx
Connect with us
ads

Geral

Santarém continua entre as 10 piores cidades no ranking de saneamento básico do Brasil

Published

on

Como faz todos os anos desde 2009, o Instituto Trata Brasil divulgou nesta segunda-feira (22), Dia Mundial da Água, novo do Ranking do Saneamento Básico, e o município de Santarém, no oeste do Pará continua entre as 10 piores cidades em relação à coleta e tratamento de esgoto e a oferta de água tratada à população.

A nova edição do Ranking aborda os indicadores de água e esgotos nas 100 maiores cidades do país com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) – ano base 2019, divulgado pelo Ministério das Cidades.

No quesito atendimento em água tratada, o relatório do Instituto Trata Brasil aponta que são atendidos apenas 51,09% da população santarena.

Ainda de acordo com o relatório, em 89 cidades, mais de 80% da população possui atendimento de água potável, o que significa que 11 grandes municípios ainda possuem grandes desafios em entregar água a mais pessoas. Na média dos 100 maiores municípios, 93,51% da população tem acesso à água, 10 pontos percentuais a mais que a média nacional.

Quando o assunto é coleta e tratamento de esgoto, Santarém aparece com apenas 4,17% da população. Abaixo, inclusive, que o percentual obtido no ranking de 2020, que foi de 4,27%.

Estação de Tratamento de Esgoto Mapirí (ETE Mapirí) em Santarém  — Foto: Reprodução/TV Tapajós

Conforme o Ranking do Saneamento, pouco mais da metade das cidades estudadas apresentaram indicadores superiores a 80% da população com coleta de esgotos, contudo, 35 grandes cidades apresentaram indicadores inferiores a 60%, sendo que oito deles atendem a menos de 20% com o serviço. O indicador médio de população com coleta de esgotos nesses municípios foi de 74,47%, ou seja, 20 pontos percentuais superior à média nacional.

Ranking do Saneamento Básico 2021

10 melhores cidades10 piores cidades
Santos (SP)Macapá (AP)
Maringá (PR)Porto Velho (RO)
Uberlândia (MG)Ananindeua (PA)
Franca (SP)São João do Meriti (RJ)
Limeira (SP)Belém (PA)
Piracicaba (SP)Santarém (PA)
Cascavel (PR)São Gonçalo (RJ)
São Paulo (SP)Duque de caxias (RJ)
São José do Rio Preto (SP)Rio Branco (AC)
Suzano (SP)Belford Roxo (RJ)

Fonte: Instituto Trata Brasil

Panorama dos 20 piores municípios em oito anos

Embora o Ranking do Saneamento tenha sofrido alterações metodológicas, os principais indicadores de saneamento básico do SNIS se mantiveram e, com isso, é possível avaliar como as 20 piores cidades do Brasil em saneamento básico se comportaram nesse período. Nos últimos oito anos do Ranking, 29 municípios distintos chegaram a ocupar as 20 últimas posições. Desses, 17 estiveram nas últimas colocações em pelo menos seis edições do Ranking de Saneamento.

O estudo observou ainda que 13 municípios se mantiveram desde 2014 dentre os últimos colocados do Ranking, sendo três localizados no estado do Pará e três no Rio de Janeiro. Além disso, Santarém (PA), Porto Velho (RO), Ananindeua (PA) e Macapá (AP) estiveram sempre nas 10 últimas colocações que contemplam as 100 maiores cidades do país.

Entre as 20 piores cidades, o investimento anual médio por habitante (2015 a 2019) foi de R$ 31,45, ou seja, 72% abaixo do patamar médio para a universalização (R$ 113,30).

Por serem cidades com indicadores muito atrasados e distantes da universalização, ter um indicador abaixo da média nacional representa uma dificuldade muito grande para alcançar a universalização e mostra a necessidade urgente de aumentar substancialmente seus investimentos.

O G1 fez contato com a prefeitura de Santarém e a Companhia de Saneamento do Pará e aguarda posicionamento.

Fonte: G1

Continue Reading
Advertisement
Comments